Chegando no futuro

walking

Quando atravessou a rua e se deparou com a memória, fez um esforço para continuar andando. Parar ali e desejar o passado era quase inevitável. Quase, porque conseguiu, seguiu em frente, ainda que continuasse a pensar. Foram tantos anos, uma rotina formada, que era igualmente quase inevitável não sentir a nostalgia. Para essa sensação, cedeu. Dessa vez, diferente de todas as outras até então, em vez de querer tirar a terra de cima do caixão e desenterrar o passado, apenas sorriu, agradeceu e continuou andando, pois já estava quase na esquina de um novo tempo.