Correntes

As horas pararam, os dias o devoraram. Resignado, deixou de tentar. Não havia sentido, não havia variedade de emoções, apenas uma o dominava. Tristeza. Tristeza que já não era tristeza, mas sim algo complexo, quase sem remédio. O discurso que ouvia o transformava em vítima e em culpado ao mesmo tempo. A condição humana, entendeu, era uma faca de dois gumes. A dualidade que estava em todos os lugares não permitia segurança. Ele só queria descansar de ser. E em retorno a esse desejo, a vida se deu a ele para vivê-la como uma sentença. Aprisionado.