Degradado.

É quando chega aquela tristeza inexplicável,
forte e dominante,
que percebo minha miserável condição de dramático,
ampliador de problemas pequenos.
E tenho vergonha dessas dores reais,
menosprezadas pelas circunstâncias
e pelos problemas que não são meus.
E é quando chego a esse ponto depreciativo
que vou cada vez mais fundo nos desejos mórbidos,
causadores de repulsa e medo.
E mascaro todas as raízes desse mal
com flores fajutas e envelhecidas,
para que o odor diga a todos
que essa podridão é cultivada em meio à vergonha,
pois o fato é que meus pensamentos são cultivados em terras mais densas,
mais desertas, mais escuras, mais audaciosas, mais desconhecidas,
mais difíceis de se explorar.

*Texto disponible en español aquí.