É matéria interestelar

Quando sentiu o coração bater naquela manhã, deu-se conta de que era uma supernova. A princípio, assustou-se. As implicações dessa descoberta eram inúmeras e se conectavam aos conhecimentos milenares que nunca tinha estudado. Tinha que agir, pois havia acumulado muita energia no coração que, durante a noite, tinha expandido. Queria compartilhar através do corpo o cosmos que identificava em si. Para isso, teria que vencer o medo das interações humanas e assumir que amar é mais simples e menos seletivo do que pensava até então.