Estancado

Não sobrou nada do que sou
Sou um vazio daquilo que fui
Duas metades que ele gozou
Um inteiro que já não flui

Não sobrou nada para guardar
A não ser a mágoa e a tristeza
Uma dor que é difícil suportar
Água parada e não correnteza

Não sobrou nada para oferecer
Então suponho que posso parar
Sou o que nem eu posso querer
Água turva que não vai brotar