Eu nego

medita

Ah, se fosse tão fácil chegar ao centro
onde reside o equilíbrio, o ponto certo
no qual o bom e o mau se tornam um
o mesmo destino do que morre e nasce
de onde fugimos para tentar retornar
por curiosidade e, talvez, por coragem
aquele espaço racionalmente místico
paradoxal em sua indefinível origem
o lugar que está dentro de cada um
e, de tão próximo, parece inalcançável
desafio indissociável e peso necessário
por meio do qual cada um se reconhece
ainda que a negação se faça presente
afinal, ela também é parte do todo