Gozo

Quando ele saiu, tomou consciência. Os corpos se afastaram na cama para começar o resfriamento até que a vontade do início tivesse passado. Agora, sobravam corpos, faltavam motivos. E foi então que ele percebeu. Aquele era seu teste final. Levantou da cama e ficou em pé na frente dele. O que você vê? Como assim? O que você vê, ué? Você pelado. Só isso? Cê é gostoso… Ok. Vestiu a roupa. Que foi, falei algo errado? Não, relaxa, isso é coisa minha. Chegando em casa, ficou nu na frente do espelho, analisando cada pedaço do corpo que era. Você me é útil, obrigado. Porém, você não me define. E sinto pena de quem não consegue me ver além de você. Finalmente tinha aprendido: sexo é o ato e não o corpo.