Infância reprimida

Levantou-se da cama bem cedo,
pois o tempo não esperaria.
Com a respiração cheia de medo,
achava que não suportaria.

O peso da mochila era um sinal,
já que o menino tinha uma alma.
O que pesava nela não era mal,
mas sim uma inata falta de calma.

O mundo era absurdo para o menino,
porque ele não queria acreditar no bem.
Ele não sabia o que esperar do destino,
ainda que o destino fosse alguém.