Minha experiência como autor independente – parte VI: a bolha*

IMG_0020

Imagine que você publicou um livro e postou sobre o lançamento nas suas redes sociais. Seus parentes curtiram, seus pais, alguns amigos. Mas quantos deles compraram o livro? Pois é… agora pense na quantidade de leitores Brasil (e talvez mundo) afora. Como alcançá-los se até no seu círculo é difícil convencer alguém a adquirir seu produto?

Da série de dificuldades que um autor independente tem, a que vem depois do lançamento de um livro é uma das mais desafiadoras: conseguir novos leitores. Para isso, sabemos que as ferramentas de impulsionamento das redes sociais ajudam. Porém, não se vende um livro apenas bombardeando as pessoas com propaganda, tampouco esperando que aqueles que você conhece pessoalmente o comprem devido a algum laço sanguíneo ou de amizade.

É necessário se dedicar a entender as individualidades das situações. No meu caso, foi essencial receber avaliações na Amazon. E até faz sentido, pois para apostar num autor desconhecido e independente, os leitores querem ter alguma segurança de que não perderão dinheiro e tempo.

Já nas redes sociais, postar conteúdos que demonstram meu estilo de escrita serviu para os leitores experimentarem um pouco do que faço. Porém, junto a isso, tive que desenvolver paciência e consistência. Com meu livro Um poema para cada dia em que não te vi, foi preciso quase um ano para que eu tivesse algum retorno dos leitores. E enquanto ele estava quietinho lá na Amazon, eu continuava postando diariamente aqui no Autorias e no Instagram.

Hoje em dia, recebo mensagens de pessoas dizendo que até indicaram meu livro para grupos de leituras dos quais participam. E vez ou outra, sou marcado em posts de pessoas que se identificaram com o que escrevi, o que pra mim é realmente muito especial.

Talvez nos primeiros meses o material não receba atenção, mas aos poucos isso pode acontecer. É o que estou tentando fazer com meus dois novos livros Uma cura para a vida e Relações poéticas. Quero que pessoas de fora da minha rede leiam esses lançamentos e, para isso, além de impulsionar publicações, analisar métricas e continuar postando material gratuito, estou desenvolvendo mais paciência e perseverança. Sem contar que ando sendo bem cara de pau e pedindo pra que quem já leu avalie na Amazon e no Goodreads. 😛

Como você pôde ver, minhas ferramentas para atingir novos leitores são bem básicas. Você tem outras dicas acessíveis? Aceito sugestões. 😉

 

*Texto postado originalmente no LinkedIn.