Madrugada

night_1

acordo assustado durante a noite
sem saber onde fica a janela
perdido nos meus sonhos
entre a vigília e a espera

as pernas entrelaçadas no lençol
preso à noite escura e quente
pingando o suor no vazio
não ocupado pelo corpo ausente

o travesseiro afundado denuncia
o peso que minha mente carrega
ainda que ela possa descansar
à ilusão do sonho não se entrega

me deito questionando a hora
ainda é madrugada no coração
ele pede pra amanhecer e se levantar
mas o corpo ainda quer o colchão