O tempo e a poesia

Há alguns segundos eu estava ali fora. O que poderia ter acontecido se eu levasse mais um segundo para entrar? Quem eu fui naquele momento? Aquele homem se dissolveu com cada segundo que levei para caminhar, abrir a porta e entrar em casa. Aquele tempo se dissipou com as nuvens que, há poucos segundos, derramavam água no asfalto. O asfalto, daqui alguns segundos, secará. E o que resta, afinal? O homem novo diante da janela admirando o asfalto em processo de secagem. Um trágico acontecimento poético que ninguém viu.