Post-mortem

eclipse

No céu não tem poeta
pois ele não se santifica
ele não vê o futuro, não é profeta
na ponta de seu destino, é onde fica
a dor que usa para criar beleza
o medo que guarda para se proteger
fazendo do amor sua tristeza
criando da solidão o que viver

O poeta não vai para o submundo
pois seus erros não são mortais
ele não sai do passado, mais que profundo
enterrado em sua angústia, é onde esconde
a alegria que quer expor
o abraço que tenta dar
fazendo da pena seu rancor
criando das palavras o que acreditar