Risco de vida

car

A faixa amarela divide os dois caminhos, ida e vinda. No caso dela, queria conduzir o carro bem em cima da faixa, indo e vindo ao mesmo tempo. Como isso era perigoso, apenas seguiu o caminho até a cidade. Entrar ali era como sair de si, mas não tinha ideia para aonde ir se não precisasse ficar. Por isso, queria dirigir em cima da linha amarela da vida. Porém a vida não se dirige com tanta estabilidade como um carro, e ela já tinha perdido o controle dos dois. Chocou-se com um poste. Saiu do carro com a mão direita na testa, não pela dor, mas pelo problema que tinha criado por estar pensando na vida. Assim, entendeu que quando se vive distraído com a vida, corre-se risco de perdê-la.