Três atos: de 0 a 16

Arquivo pessoal. Arquivo pessoal.

Eu sei o que não me lembro
dos tempos em que levitava
carregado pelo amor novo
de quem aprendia e ensinava
Mas meus pés tocaram o chão
e entre espinhos e grama
caminharam em oração
por influência de quem ama
Logo as bocas falaram
as palavras foram lidas
e os sentimentos que brotaram
eram vontades proibidas
A fé foi questionada
precisou acabar
da cruz foi retirada
e comecei a sangrar

*Três atos: chegaremos ao fim de mais uma década e, com isso, iniciarei meu trigésimo ano de vida. Esse fato me fez repassar mentalmente minha história e ela pediu pra ser transcrita em forma de poemas. Em três períodos, me autobiografei por meio da rima, numa tentativa de me reconhecer para começar o próximo ano ciente do que posso encontrar pelo caminho, mas também com a intenção de criar conexões através das similaridades, posto que a solidão não deve ser constante, apenas uma lição vivida.